Mônica

Just another WordPress.com weblog

Eu quero alguém de verdade! outubro 9, 2012

Filed under: Sentimentos — Mônica Guidoni @ 8:13 pm
Tags: , , , , , , , ,

“Eu quero alguém de verdade.

Alguém que não tenha medo de amar; que não preze a liberdade; que troque o mundo lá fora por mim. Eu quero ter alguém em quem pensar durante a semana, alguém pra passar as noites dos sábados e os domingos inteiros.
Eu quero alguém que me ame sem medo de falar, sem vergonha de demonstrar. Eu quero alguém que me inclua no seu futuro, que pense em casamento na igreja, e que entenda o meu medo do futuro. Eu quero alguém que me respeite e, nunca tente mudar o meu jeito. Que me aceite como eu sou. Eu quero alguém que me faça rir quando a TPM atacar. Alguém que ria do meu jeito desastrado. Alguém que saiba pedir desculpas quando estiver errado. Alguém que saiba perdoar quando eu estiver errada. Alguém que nunca pense em ir embora e, nem me dê motivos pra isso. Alguém que desarme os meus bloqueios, que me ajude a passar por cima da minha insegurança, que acabe com as minhas paranoias. Eu quero beijo na testa, andar de mãos dadas, aliança no dedo (jamais no bolso). Eu quero ligações inesperadas, mensagens de boa noite, encontros durante a semana. Eu quero flores, dormir de conchinha, ouvir e dizer ‘eu te amo’ baixinho no ouvido. Eu quero proteção, carinho, mimos. Eu quero amor, respeito, fidelidade. Eu quero que seja verdadeiro e reciproco. Não precisa ser lindo, rico e forte. Precisa ser meu …..

Anúncios
 

Escolha o mundo em que você quer viver março 27, 2009

Filed under: Sucesso — Mônica Guidoni @ 10:50 am
Tags: ,

Livre-arbítrio! Significa que nós podemos fazer nossas escolhas e essa é uma boa notícia. Aí está a beleza da vida: a de poder escolher o mundo em que queremos viver. Mesmo assim, fazemos escolhas equivocadas. Preferimos um mundo de escassez a um mundo de abundância um mundo de probabilidades a um mundo de possibilidades um mundo de expectativas a um mundo de estimativas. O Mundo da Sobrevivência A luta pela sobrevivência foi (e ainda é) a principal meta da maior parte das pessoas e empresas. Não são poucos os que mordem a isca e caem nessa armadilha. O mundo da sobrevivência é um mundo de escassez, pois se acredita que não existe o suficiente para todos. Não tem para todo mundo, e o que tem é de quem chega primeiro. Daí a competição que vai se acirrando a cada dia até se transformar em predatória, quando um pisa no pescoço do outro para conseguir o que deseja. Também se aposta mais no passarinho que está à mão, e o mecanismo do controle garante o que foi arduamente adquirido. Nada pode ser perdido nem desperdiçado e todas as conquistas devem ser guardadas a sete chaves. A busca da segurança faz com que a fórmula que deu certo se repita. E a repetição assegura a sobrevivência, fechando o ciclo, agora vicioso. As empresas fizeram da sobrevivência uma arte, mas deixaram o seu rastro de sangue. A crença de que não há o suficiente para todos tornaram as pessoas egoístas e moldadas para o trabalho pesado e o sacrifício das outras facetas da vida. A maioria das pessoas é viciada em preocupações, controle, excesso de comando e falta de fé. A maioria de nós tornou-se muito séria e… doentes. Os trabalhadores nos Estados Unidos, por exemplo, consomem mais do que 15 toneladas de aspirina por dia. Essa é a herança da ambição desmedida e da ganância, da disputa de cada palmo do mercado e pela corrida obsessiva em busca do lucro. O Mundo da Riqueza Quando o pensamento está na abundância, não há necessidade de competir. O sol nasceu para todos, a solidariedade toma o espaço do egoísmo. Mentes e corações estão abertos à cooperação, surgem parcerias. O controle é substituído pelo risco, parte integrante da função empreendedora. Se há disposição para o risco, há também chances de criar e inovar em vez de repetir. A inovação completa o ciclo da riqueza. O ciclo da riqueza rompe com a repetição. A crença de um mundo abundante comprova que não existe limitação de mercado, mas limitação de imaginação. A imaginação rompe as barreiras da repetição e, por ser fecunda, nos faz ingressar no reino das possibilidades infinitas. Esse é o novo padrão de pensamento: mente aberta, coração aquecido e pés no chão. Daí emana a energia que trará a riqueza. E não se trata apenas da riqueza material, mas de tudo o que os nossos corações e almas realmente desejam: físico, mental, emocional e espiritual. Crie a sua Própria Realidade A crença de que algo é verdadeiro exerce grande influência no modo como enxergamos a vida e agimos não de acordo com a realidade, mas conforme a nossa percepção de realidade. Uma “verdade” que não é mais verdade funciona como uma bola de ferro acorrentada à perna do prisioneiro. O nosso conjunto de crenças e valores forma a base dos nossos comportamentos. Daí a bola de ferro presa à perna: as crenças levam às percepções, que geram os nossos comportamentos que, por sua vez, confirmam as nossas “verdades”. Portanto, nossa consciência cria a nossa realidade e aí ficamos presos ao longo da vida… a menos que… a desafiemos! O desafio está em dar adeus ao mundo da sobrevivência e trocar o existir pelo viver. Existir é instintivo, involuntário, autopreservação e reação. Viver é o exercício das nossas capacidades, atitudes, habilidades e conhecimentos. Quando rompemos com o mundo da sobrevivência ficamos abertos a preencher nossos dias com momentos que nos gratificam. Queremos viver intensamente. Queremos tomar partido de algo com significado. Queremos nos sentir úteis e contributivos. Queremos respostas para as seguintes indagações: “que papel desempenho no universo?” ou “por que estou aqui?” Queremos contar uma história da qual nos orgulhemos. O melhor de tudo é saber que a escolha é nossa!

mundo1